Contatos

Câmara Municipal de Nisa
Praça do Município - 6050-358 Nisa
Telefone: 245 410 000 | Fax: 245 412 799
Contribuinte: 506 612 287
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

banner caminhos

des percurso

 

O troço do Caminho de Santiago que ocorre pelo concelho de Nisa, faz parte do itinerário conhecido por Via Portugal Nascente ou Caminho Nascente. Entra em território nisense, junto às poldras do Ribeiro de Sor, na confluência das freguesias de Vale do Peso (Crato) e Alpalhão (Nisa). Passa junto à Horta do Fraguil, Fonte da Feteira e Poço Novo. A cerca de 1 km de Alpalhão, o percurso ocorre pela “Azinhaga Velha do Crato”, entra na vila pela Rua da Carreira em direcção ao Largo de S. Tiago, junto à igreja da Misericórdia.

O percurso passa pelo Largo do Terreiro, Rua Direita, onde se poderão observar algumas inscrições judaicas nos umbrais das portas. Do edifício da antiga Câmara Municipal (sede da Junta de Freguesia de Alpalhão), o trajecto segue, pela Rua do Castelo, sem que se perca a oportunidade de contemplar algumas portas com arcos ogivais, o Passo da Sra. do Bom Despacho (1758), bem como a entrada para a porta do castelo, até chegar à igreja Matriz de Nª Sra. da Graça. Pela Rua de S. António alcança-se a Rua Dr. Gregório de Oliveira Casquilho e no final desta flete-se à esquerda e logo à direita.

Daqui vamos ao encontro do Couto da Figueirinha e da Tapada do Sardinheiro, onde, junto a um antigo pontão de pedra sobre o ribeiro de Figueiró, apanhamos a Vereda da Sardinheira. Pela dita Vereda vamos seguir com o Figueiró à nossa direita e contemplar um antigo pontão de carretas. Mais à frente, com as Pedreiras do Carvalhal à nossa esquerda e o pontão de João Viegas à nossa direita, vamo-nos distanciando do Figueiró em direcção à Tapada do Vale do Ribeiro.

Depois desta Tapada, percorreremos 1,5 km pela berma da EN18, até à Casa dos Cantoneiros, onde deixaremos a estrada para continuar pelo caminho do Redil de Buxo. Ao longo deste troço vamos poder contemplar as poldras dos Ribeiros dos Monizes, do Figueiró e do S. António, assim como um troço de calçada medieval, a Fonte da Cruz e, já em Nisa no Largo com o mesmo nome, a Cruz das Almas (local da antiga Capela de S. Catarina).

Continuando pela Rua Alexandre Herculano e atravessando o Largo Heliodoro Salgado, o percurso cruza o centro da vila de Nisa, pela Praça da República, em direcção ao centro histórico, pela Porta da Vila, passando pelas igrejas do Espirito Santo, do Calvário e Matriz. Seguindo pela Rua Dr. Francisco Miguéns (vulgo Rua Direita), chega-se à Praça do Município, passa-se o arco dos Paços do Concelho, não sem antes deitar um olhar à Fonte do Frade, ao Pelourinho, à igreja e ao edifício da Misericórdia, visitando o seu interessante espólio de arte sacra!

Transpõe-se o coração do centro histórico pela Rua D. António Lobo da Silveira (Alvito) até à Porta de Montalvão para depois atravessar a Rua de S. Tiago e tomar em frente a EM526 em direcção à Ermida de S. Lourenço (com vista privilegiada por todo o Complexo de Nª Srª da Graça), ao Cruzeiro (1638) e às ruínas da igreja de S. Tiago. Junto ao Cruzeiro, o percurso deixa a EM526 por caminho à esquerda, passa junto ao Monte do Dr. Peliquito, atravessa o Couto da Sra. da Graça e desce até um lugar de rara beleza paisagística, o “Porto das Carretas”, atravessando a Ribeira de Nisa, pelas antigas poldras, ou em maior segurança, pelo passadiço de cimento.

Tomando o caminho de frente, seguir-se-á, por entre eucaliptal, até reentrar na EM526, a 500 m do cruzamento com a aldeia da Vinagra. A 150 m das primeiras casas da aldeia de Pé da Serra, o percurso sai em definitivo da EM526 por caminho à esquerda, junto a uma Alminha com a imagem de Nª Srª de Fátima. Este bonito trilho, com a imponente Serra de S. Miguel à nossa esquerda e o Pé da Serra à nossa direita, conduz-nos ao caminho para o Monte Cimeiro.

Chegados ao desvio para o dito Monte, o Caminho de Santiago continua em frente contornando, pela direita, a encosta da Serra, seguindo, sem mais desvios, até ao cruzamento no local conhecido por “Cabeço”, onde se vislumbra no horizonte, à direita, o que resta de um furdão. A partir daqui este trajecto atravessa uma vasta zona de eucaliptal até ao Monte dos Barreiros (vulgo Monte “do Zé dos Santos”), de onde se começa a vislumbrar o rio Tejo.

O caminho prossegue até à EN18 (junto à placa do Alto Alentejo), viramos à esquerda e seguimos pela berma da estrada durante 50 m e atravessamo-la para continuar pelo caminho de frente na direcção da Portela do Atalho e Rio Tejo. Entre a Portela e a Quinta da Corga, surge-nos, à direita, a Fonte do Lameiro, que emana água das profundezas da Serra de S. Miguel, local que convida a uma pausa para retemperar forças!

Prosseguindo em direcção ao Tejo e já perto de Vila Velha de Ródão, tempo para desfrutar de mais um momento de rara beleza paisagística, a vista sobre o Monumento Natural das Portas de Ródão e sobre o voo dos grifos, que, gradualmente e com o rio de permeio, nos vão surgindo à retaguarda. Logo depois, chegamos à ponte sobre o rio Tejo, ponto de confluência entre os concelhos de Nisa e de Vila Velha de Ródão, ou seja, entre o Alto Alentejo e a Beira Baixa.

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.
Mais informações Aceitar Cookies